Regras existem e não são de todo ruins. Sem elas viveríamos no caos, na barbárie. No entanto é na falta de ordem que trabalha nosso poder criativo. Ideias não aceitam cabresto e se queremos incentivar o surgimento delas, precisamos abrir mão muitas vezes das regras.

Todos sabem que artistas são de certa forma loucos. Afinal é da profusão de ideias desconexas aos olhos do mundo que surgem suas criações. Fico imaginando se seria possível um genial Van Gogh criar em uma repartição pública, em meio a carimbos e processos de trabalho imutáveis…

Cervejeiros, para mim, são artistas. E por isso precisam também de um pouco de loucura, de insanidade, para dar vazão às novas criações. Copiar uma receita que lhe dá grande prazer em beber não pode ser o objetivo máximo de um cervejeiro! Deve ser muito frustrante ser sempre o copista, nunca o gênio que inventou. Mais frustrante ainda para o cervejeiro deve ser a sua criação julgada com burocrático rigor.

Essa é a reprodução de parte do texto de Fabiana Arreguy. Para ver o post completo, clique AQUI

E não se esqueçam que amanhã será a festa de 2 anos do programa.

Veja mais informações AQUI

Pão e Cerveja