CERVEJA XINGU VENCE AS DUAS PRIMEIRAS ETAPAS DO CONCURSO PROMOVIDO PELO JORNAL WASHINGTON POST. NA PRIMEIRA ETAPA ELIMINOU A BROOKLIN, VENCEDORA DO ANO PASSADO .

A cerveja Xingu é produzida no Brasil pela Femsa/Heineken e exportada há 23 anos para os Estados Unidos, com a supervisão de seu criador, Cesario Mello Franco

O jornal Washington Post, um dos mais influentes jornais do mundo, seleciona todo ano algumas cervejas tops para um concurso de cervejas. Neste ano o concurso se tornou global e selecionou 32 cervejas de 22 países. Como em uma competição, eles agrupam as cervejas em 4 chaves de 8 em cada, separadas por tipos: lagers, pale ales, dark beers e freestyle (fruit and spice beers). A organização forma 2 painéis de 5 jurados cada, para degustação às cegas em 4 rounds. Nessa primeira etapa, entre as cervejas escuras, a Xingu venceu a Brooklin, que foi a vencedora do concurso no ano passado. Agora, na segunda etapa, que ocorrerá no dia 31, a Xingu vai enfrentar a Monteith’s Black Beer da Nova Zelandia.

O Beer Madness também está promovendo durante o concurso uma votação paralela em seu site, na qual os internautas podem escolher suas cervejas favoritas. Para os brasileiros que apreciam a marca, o endereço para votação, até dia 30 de março, é http://migre.me/rpzR

CRIAÇÃO DA CERVEJA XINGU

Cesario criou a Xingu em 1987, depois de um encontro com Alan Eames, escritor especializado na história de cervejas, e sua esposa Anne Latchis, até hoje envolvida com a marca. Enquanto escrevia seu livro, em suas pesquisas, Alan Eames havia localizado registros de 1557 sobre uma cerveja preta produzida na Amazônia com milho e mandioca, fermentada naturalmente. Esse foi o ponto de partida para a criação da cerveja. Juntos, encontraram uma pequena cervejaria artesanal que aceitou produzir a Xingu e depois de muitos testes levaram a nova criação para uma degustação no prestigiado CIA – Culinary Institute of America. A cerveja foi aprovada e o sucesso veio imediatamente. A Xingu foi vendida para lojas e restaurantes americanos e elogiada pela imprensa especializada local. Depois de muitos altos e baixos, Cesario vendeu os direitos de uso da marca no Brasil para a Femsa Cerveja Brasil, recém incorporada à Heineken, maior produtora de cervejas Premium do mundo.

A Xingu já recebeu diversos prêmios como 2 medalhas de ouro do Beverage Testing Institute de Chicago. Cesario continua comercializando a marca nos Estados Unidos, na Inglaterra, na Austrália, e se prepara para torná-la uma marca mundial.

Mais detalhes e fonte: http://scriptocomunica.wordpress.com/2010/04/03/cesario-mello-franco-criador-da-xingu-vence-cerveja-brooklin-e-anuncia-novas-versoes/ e http://www.washingtonpost.com/wp-srv/artsandliving/foodanddining/features/2010/beer-madness/