ACervinhA Ribeirãopretana desenvolve cerveja especial

Retransmitimos as palavras de Marcelo Vesoloski, membro desta Assciação do Estado de São Paulo.

“As inspirações para a criação da Imperial München vêm das cervejas produzidas no castelo de Eggenberg, na Áustria, com sua versão de lager, que já foi consideradas uma das cervejas mais forte do mundo.

Partimos para conversas de como fermentar e maturar nossa cerveja, já que todo cervejeiro é um pouco alquimista. Colocamos a mão na massa utilizando uma versão da receita München produzida pela cervejaria Lund.

Com essa cerveja produzida 145 dias antes da nossa primeira inoculação de fermento Lager e açúcar para a segunda fermentação em temperatura baixa,o processo foi repetido agora com um fermento recuperado da receita da Dubbel que foi enviado para o concurso do Mestre Cervejeiro da Eisenbahn e açúcar mascavo. Esse processo de adição de quantidades generosas de açúcar mascavo e novas leveduras se repetiu por 6 vezes consecutivas.
Após atingir a graduação alcoólica máxima que uma levedura de alta fermentação pode resistir, tivemos que optar por uma levedura para espumante para continuar a conversão de açúcar em álcool. Uma segunda versão mais simples foi preparada para ser maturada em um barril de madeira de Amburana.

Após preparar um blend das duas versões, envasamos, utilizando o equipamento da micro cervejaria Lund, em garrafas de 330ml.

Uma experiência fantástica de produzir uma cerveja única em todos os aspectos já que não possuímos mais os fermentos e a cerveja base. O processo pode ser repetido e o resultado pode ser semelhante. Mas não igual a essa cerveja ímpar. Poucas garrafas produzidas e alguns afortunados puderam compartilhar essa experiência.

A experiência de um cervejeiro como Evandro Zanini e a curiosidade de Marcelo Vesoloski forjam essa receita da Imperial München Ale/Lager”.

Marcelo Vesoloski é Membro da AceRvinha Ribeirãopretana e proprietário da loja Empório Biergarten nesta cidade.

Foto: Egídio Elton.